Mission & Principles Country & Language What is GIST Clinical Trials GIST Specialists FAQs Order Pamphlets Links Home
Brazil

Brazil


Perguntas Freqüentemente Feitas

O que é Glivec?
Como posso identificar um médico especialista?
O que devo fazer se o Glivec parar de funcionar comigo?


O que é tumor estromal gastrointestinal (GIST)?

GIST é um câncer raro do trato gastrointestinal. Pertence à classe dos sarcomas. Os sarcomas são um grupo de cânceres raros que ocorrem em tecidos conectivos, ossos e tecidos musculares. Os sarcomas derivam-se das "células mesenquimais", que são uma classe geral de células que incluem fibroblastos, as células musculares e as células que revestem os vasos sanguíneos (células endoteliais).

Cerca de 40-70% dos GIST apresentam-se no estômago, 20-40% apresentam-se no intestino delgado, e 5-15% no cólon e reto. GIST pode ser encontrado também no esôfago, omento, mesentério e retroperitôneo.

Não devemos confundir GIST com outros cânceres mais comuns (carcinomas) do trato gastrointestinal, tais como carcinomas do estômago. Os carcinomas podem ocorrer nas mesmas partes do corpo, mas suas origens e tratamentos são completamente diferente.

Back to top


Como GIST é diagnosticado?

No momento do diagnóstico de GIST, os sintomas mais comuns são:

  • desconforto abdominal ou dor;
  • presença de massa abdominal palpável;
  • sensação de estômago cheio;
  • sintomas secundários resultado do sangramento do tumor e de anemia associada.

A biopsia é geralmente utilizada para auxiliar no diagnóstico do câncer e do GIST. As amostras de tecido são preparados a partir da amostra da biópsia. Um método que o patologista utiliza para classificar tecidos chama-se imunohistoquímica. Usando esta técnica, o patologista aplica vários anticorpos aos tecidos. Estes anticorpos reagem com as proteínas específicas da superfície celular que são características de tipos particulares de células. O anticorpo mais importante que se aplica quando se suspeita de GIST é o anticorpo da proteína KIT. Quando estes anticorpos ligam-se ao alvo específico na superfície da célula, é produzida uma coloração ou mudança na cor da amostra.

Então quando se aplica o anticorpo KIT e a superfície da célula tem a proteína KIT presente, dizemos que a amostra tem coloração positiva. Isso é o que conhecemos como c-kit positivo; e significa que esta célula tem receptores do c-KIT na sua superfície.

Nota: a terminologia c-Kit ou CD117 pode ser utilizado em vez de KIT.

Ao fazer o diagnóstico, o patologista também estudará a forma e o aspecto das células tumorais através do microscópio. É conveniente que um patologista com experiência em sarcomas faça o diagnóstico de GIST.

Back to top


Qual é o tratamento para GIST?

GIST é geralmente tratado com cirurgia ou com uma droga chamada Glivec (conhecido como Gleevec nos EUA). Um dos desafios atuais para os pacientes com GIST e seus médicos, é decidir entre cirurgia ou Glivec e quando um é mais apropriado do que outro. Certamente, ambos, cirurgia e Glivec podem ser apropriados para alguns pacientes. Para os pacientes com doença metastástica extensa, Glivec é a opção mais adequada, mas para novos pacientes nos quais não há metástase presente, as opções são mais complexas. Sugerimos que você revise a seção de tratamento, para ter conhecimento de alguns fatores que podem influenciar esta decisão.

GIST é muito resistente aos tipos tradicionais de quimioterapia e de radioterapia. Eles são muito pouco usados no tratamento dessa patologia

Back to top


O que é GIST metastático?

Os GIST começam como tumores localizados (simples) que crescem em alguma parte do trato gastrointestinal. Como a maioria dos cânceres, GIST pode produzir células tumorais que se disseminam para outros lugares. Este processo é chamado de metastático e as novas lesões são chamadas de metástases. (A lesão origional é chamada de primária). GIST geralmente se metastatiza para

locais próximos ao sítio primário, como cavidade peritoneal e fígado. As metástases de GIST que crescem em outros locais como fígado continuam sendo GIST e não um câncer de fígado. GIST metastático, assim como GIST primário são ambos sensíveis ao Glivec.

Back to top


O que é Glivec?

Glivec é um medicamento oral que deve ser ingerido uma ou duas vezes ao dia de acordo com a dose. Um paciente toma normalmente de 1 a 2 comprimidos (400-800 mg) diariamente.

Glivec é diferente de quimioterapia tradicional, pois é bastante seletivo. A quimioterapia tradicional mata todas as células que se dividem rapidamente. Por esse motivo, causa tantos efeitos colaterais. Além das células cancerígenas, a quimioterapia mata as células normais também. Glivec é muito mais seletivo e consequentemente tem muito menos efeitos colaterais e estes são menos severos. Ele foi criado para bloquear (inibir) a atividade de uma enzima mutante

(enzima é um tipo específico de proteína) que causa a leucemia mielóide crônica (LMC). Esta enzima é chamada Bcr/Abl. Além dessa enzima, o Glivec também bloqueia várias outras enzimas. Isso inclui:

  • KIT
  • receptores derivados de plaqueta de fator de crescimento (PDGFR-alfa e PDGFR-beta).
  • várias formas das enzimas Abl.

A inibição da transdução do sinal do KIT anormal (e em alguns casos PDGFR-alfa) geralmente bloqueia a divisão celular do GIST e promove a apoptose (morte das células).

Back to top


Como posso identificar um médico especialista?

Na nossa opinião, o mais indicado é uma equipe médica especializada em GIST. Isso pode incluir um patologista, Oncologista e um cirurgião. GIST é um tipo raro de câncer e por isso poucos médicos tem experiência em tratá-lo.Os hospitais com centros de referência em Sarcoma, provavelmente possuem mais experiência com GIST. Assim como também os hospitais que tenham conduzido estudos clínicos com Glivec. Eles têm tratado muito mais pacientes com GIST e estão mais familiarizados com suas necessidades específicas, com as opções de tratamento, com o manejo dos efeitos colaterais, com o monitoramento e o que fazer se o tratamento inicial falhar.

Em cooperação com a Sociedade de Oncologia de Tecido Conectivo (CTOS), nossa página na web começou com uma lista de especialistas em GIST. Embora não inclua todos os especialistas de GIST, esperamos que seja útil.

Back to top


O que devo fazer se o Glivec parar de funcionar comigo?

  • Encaminhe-se para um dos melhores centros de GIST para uma avaliação adicional.
  • Não deixe de tomar Glivec precocemente.

O tratamento inicial com Glivec pode resultar algumas vezes em um aumento do volume dos tumores que estão respondendo ao Glivec.

Mesmo se o Glivec não puder parar totalmente o crescimento do tumor, ele poderá retardar o crescimento. Nestes casos deve considerar-se a continuação com a terapia de Glivec, na ausência de outras opções (por exemplo, até conseguir ser incluído em algum estudo clínico).

A descontinuação de Imatinibe (Glivec) pode resultar no efeito “PET Flare.”

A reativação da atividade do GIST em pacientes que interrompem o uso de Glivec tem sido demonstrada através dos exames de PET. Esse fenômeno conhecido como “PET flare”, tem demonstrado ocorrer em menos de 11 dias.

Por tanto, é recomendável não deixar de tomar Glivec enquanto o paciente estiver tolerando a droga, especialmente se há evidência que apenas doença progressiva limitada está presente. Há boas chances do Glivec continuar reduzindo ou estabilizar a maior parte das lesões, mesmo em pacientes que tiverem desenvolvido um foco limitado de resistência clonal ao Glivec.

Tenha conhecimento de um tipo especial de progressão chamado “evolução clonal” ou também chamado de um “nódulo dentro de uma massa."

Escalonamento de dose não parece afetar esse nódulos específicos, que clinicamente parecem representar novos clones de doença resistente.

Se os tratamentos locais puderem ser utilizados, como por exemplo ablação por radiofreqüência ou ressecção cirúrgica do clone resistente limitado, deve-se levar em consideração este método. A continuação de Glivec para manter o controle da doença sensível remanescente também é crítica.

Managing GIST Progression: A conversation With Charles D. Blanke, MD

Novel Pattern of GIST Progression: What It Looks Like, What It Means

  • A dose increase can be beneficial in some cases.
  • Consider Other Clinical Trials
  • Find a well informed patient group like the Life Raft Group.

Back to top


1. Clinical Management of GIST understanding the new paradigms. Highlights from the 2003 CTOS annual meeting and the Helsinki GIST Sysposium.